EQUIPE MULTIPROFISSIONAL NOS CUIDADOS PALIATIVOS EM ONCOLOGIA: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

Ana Maria Lorenzzoni, Aline Freire Bezerra Vilela, Fernanda Silva de Souza Rogrigues

Resumo


O tratamento para pacientes com câncer vem apresentado avanço significativo nos últimos anos, porém, considerando a complexidade da doença não é possível ter a garantia da cura para todos os casos, e é assim que os cuidados paliativos podem ofertar qualidade de vida ao paciente até os últimos momentos. O objetivo geral foi identificar as tendências das pesquisas cientificas relacionadas ao cuidado paliativo na oncologia realizado pela equipe multiprofissional. O levantamento bibliográfico foi realizado nas bases de dados Lilacs, BDENF, e Scielo (Scientific Electronic Library Online). Por meio de leitura exaustiva e análise da produção cientifica publicada entre os anos de 2019 e 2019, emergiram os seguintes resultados: eventualmente, a equipe multiprofissional sente-se frustrada ao lidar com a morte e o sofrimento humano, porem buscam capacitar-se dentro ou fora das suas instituições de trabalho que oportunizem momentos de conversa e discussão entre a equipe, externalizando sentimentos que podem ajudar a enfrentar os períodos críticos relacionados à rotina ocupacional. Existe um importante vinculo entre o cuidador e quem é cuidado. Esta relação está apoiada em muitas outras faces da assistência de saúde, porém na oncologia, em especial nos cuidados paliativos oncológico, a equipe multiprofissional está envolvida de uma maneira diferenciada. Evidencia-se além a necessidade de discussões frequentes relacionados ao tema, visto que as relações entre o cuidador e o ser cuidado envolvem sentimentos complexos, também a importância de realizar mais pesquisas dentro desta temática, e assim disponibilizar à comunidade cientifica, pesquisas baseadas em evidências.


Palavras-chave


cuidados paliativos, oncologia e equipe multiprofissional.

Texto completo:

PDF

Referências


ACADEMIA NACIONAL DE CUIDADOS PALIATIVOS. ANCP. 2012. Disponível em: http://www.paliativo.org.br/ancp.php?p=oqueecuidados. Acesso em: 21 de Janeiro de 2019.

ARRIEIRA, I. C. D. O., THOFEHRN, M. B., FRIPP, J. C., DUVAL, P., VALADÃO, M., & AMESTOY, S. C. Programa de internação domiciliar interdisciplinaroncológico: metodologia de trabalho. Ciênc. cuid. saúde, 2009.

BIFULCO, V. A. Psico-oncologia: apoio emocional para o paciente, a família e a equipe no enfrentamento do câncer. In: BIFULCO, V. A.; FERNANDES JÚNIOR, H. J.; BARBOZA, A. B. Câncer: uma visão multiprofissional. Barueri, SP: Manole, 2010.

BONASSA, E. M. A.; et al. Conceitos gerais em quimioterapia antineoplásica. In: BONASSA, E. M. A. B.; GATO, M. I. R. Terapêutica Oncológica para Enfermeiros e Farmacêuticos. 4. ed. São Paulo: Atheneu, 2012.

BRANDI, A. C.; CAVASINI, S. M. Psicologia como Suporte de Apoio ao Paciente, à Família e à Equipe em Oncologia. In: FONSECA, S. M.; PEREIRA, S. R. Enfermagem em Oncologia. São Paulo: Editora Atheneu, 2013

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer (INCA). ABC do câncer: abordagens básicas para o controle do câncer. 4. ed. rev. atual. – Rio de Janeiro: Inca, 2018.

_______. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Cancer (INCA). Estimativa 2018: incidência de câncer no Brasil. Rio de Janeiro: Inca, 2017.

Cardoso DH, Muniz RM, Schwartz E, Arrieira ICO. Cuidados paliativos na assistência hospitalar: a vivência de uma equipe multiprofissional. Texto & Contexto Enferm., 2013.

COOPER, H. M. The integrative research review: A systematic approach. Newbury Park, CA: Sage, 1989.

MARTINS, G.B; HORA, S.S. Desafios à integralidade da assistência em cuidados paliativos na pediatria oncológica do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Rev. bras. cancerol, v. 63, n. 1, p. 29-37, 2017.

MOSSER, G; BEGUN, J.W. Compreendendo o trabalho em equipe na saúde. Porto Alegre: AMGH, 2015

NASCIMENTO DM, RODRIGUES TG, SOARES MR, ROSA MLS, VIEGAS SMF, SALGADO PO. Experiência em cuidados paliativos à criança portadora de leucemia: a visão dos profissionais. Ciênc Saúde Coletiva. 2013;18(9):2721-8.

PEDUZZI M. O SUS é interprofissional. Interface (Botucatu). 2016

PORTO AR, THOFEHRN DDP, AMESTOY SC, ARRIEIRA ICO, JONE LR. Visão dos profissionais sobre seu trabalho no programa de internação domiciliar interdisciplinar oncológico: uma realidade brasileira. Av Enferm. 2014

REIS TLR, PAULA CC, POTRICH T, PADOIN SMM, BIN A, MUTTI CF. Relações estabelecidas pelos profissionais de enfermagem no cuidado às crianças com doença oncológica avançada. Aquichán. 2014

SILVA, G. F. Os sentidos subjetivos de adolescentes com câncer. Dissertação de Mestrado em Psicologia. Pontifícia Universidade Católica de Campinas (Puccamp), 2008.

SILVA AF, ISSI HB, MOTTA MGC, BOTENE DZA. Cuidados paliativos em oncologia pediátrica: percepções, saberes e práticas na perspectiva da equipe multiprofissional. Rev. Gaúcha Enferm. 2015

World Health Organization (WHO). Genomics. In: International Agency for Ressearch on Cancer (IARC). World Cancer Report. Lyon: IARC; 2014. p. 184.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Revista Espaço Ciência & Saúde