IV SEMANA DO CÉREBRO: A NEUROCIÊNCIA VAI A UNIVERSIDADE E AO BAR

Roberta Carvalho Cesário, Maria Beatriz Rocha, Ohana Turcato Macacare, Roberta Ekuni

Resumo


A Neurociência, ciência que estuda o encéfalo, tem um papel importante em diversas áreas, sendo relevante a sua divulgação para a população. Recentemente tem se discutido como ela pode contribuir para a educação. No Brasil, a Sociedade Brasileira de Neurociência e Comportamento (SBNeC), coordena a Semana Nacional do Cérebro, que faz parte da Semana Mundial do Cérebro, criada com o intuito de divulgar e popularizar a Neurociência. O Programa de Extensão Grupo de Estudos em Neurociência (GEN) da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) participa dessa iniciativa e em 2018 organizou a “IV Semana do Cérebro da UENP”. O objetivo do presente artigo é relatar a importância desta ação, tanto para os alunos extensionistas, como para a comunidade em geral. O evento durou três dias, sendo os dois primeiros realizados no auditório da universidade e o último em um bar próximo. Foram trabalhados temas atuais e relevantes a respeito da Neurociência por meio de palestras, indicações de filmes e debates. Mais de 200 pessoas foram alcançadas com esta ação, sendo que a articulação do evento em um ambiente descontraído mostrou-se uma estratégia positiva servindo como mais um meio para a divulgação, já que houve uma maior interação do público com o palestrante. Ademais, a participação dos alunos do GEN na organização e como palestrantes, contribui para a formação profissional dos mesmos, visto que proporciona uma vivência do papel pedagógico da extensão.

Palavras-chave: Divulgação científica. Extensão universitária. Popularização da ciência.


Texto completo:

PDF

Referências


AIRES, M. M. Fisiologia. 3 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2008.

ALÓE et al. Diretrizes brasileiras para o diagnóstico da narcolepsia. Revista brasileira de psiquiatria, v. 32, n. 3, 2010.

BAALBAKI, A. C. F. A divulgação científica e o discurso da necessidade. Letras, n. 48, p. 379-396, 2014.

BARDONE, S. P. U; CARRANZA, M. La transición del sistema nervioso entre invertebrados y vertebrados. REDUCA (Biología), v. 5, n. 3, 2012.

CAÇADORES DE NEUROMITOS. Disponível em: . Acesso em: 12 fev. 2019.

COELHO, G. C. O papel pedagógico da extensão universitária. Em extensão, v. 13, n. 2, p. 11-24, 2014.

COELHO, R. M. F.; VIANA, M. C. V. A utilização de filmes em sala de aula: um breve estudo no instituto de ciências exatas e biológicas da UFOP. Revista da Educação Matemática, v. 1, 2011.

EKUNI, R; DE SOUZA, B. M. N.; DA COSTA, C. L.; OTOMURA, F. H. Projeto de Extensão “Grupo de Estudos em Neurociência”: divulgando neurociência e despertando vocações. Revista Brasileira de Extensão Universitária, v. 5, n. 2, p. 55-59, 2014.

EKUNI, R; POMPÉIA, S. O impacto da divulgação científica na perpetuação de neuromitos na educação. Revista da Biologia, v. 15, n. 1, p. 21-28, 2016.

EVANS, E. How green is my valley? The art of getting people in Wales to care about climate change. journal of critical realism, v. 13, n. 3, p. 304-325, 2014.

FONTANESI, S. R. O.; SCHMIDT, A. Intervenções em afasia: uma revisão integrativa. Revista CEFAC, v. 18, n. 1, p. 252-262, 2016.

FRANCO, M. G. S. E. C.; SANTOS, N. N. Desenvolvimento da compreensão emocional. Psicologia: Teoria e pesquisa, v. 31, n. 3, p. 339-348, 2015.

GONZAGA, L. L; SILVEIRA, J. R. A. da; LANNES, D. Ciência fora dos muros da universidade: o caso do Pint of science na cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Ciência e Cultura, v. 69, n. 3, p. 56-59, 2017.

GOSWAMI, U. Neuroscience and education. British Journal of Educational Psychology, v. 74, n. 1, p. 1-14, 2004.

HAEFFNER, C.; GUIMARÃES, J. A. Produção científica na área de neurociência e comportamento indexada na base de dados Web os Science. Revista Eletrônica de Comunicação Informação & Inovação em Saúde, v. 10, n. 3, p. 1-21, 2016.

HEISENBERG, M. What do the mushroom bodies do for the insect brain? An introduction. Learning & Memory, v. 5, p. 1-10, 1998.

HOWARD-JONES, P. A. Neuroscience and education: myths and messages. Nature Reviews Neuroscience, v. 15, n. 12, p. 817, 2014.

JONES, K. C.; BENSELER, S. M.; MOHARIR, M. Anti-NMDA receptor encephalitis. Neuroimage: Clinical, n. 23, p. 309-320, 2013.

JONES, P. A. H. Neuroscience and education: myths and messages. Nature Reviews Neurosciences, v. 15, p. 817-824, 2014.

LOPES, A. C. F.; LEANDRO, E. F.; BOMFIM, A. C.; DIAS, A. L. A educação não-formal: um espaço alternative da educação. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE REPRESENTAÇÕES SOCIAIS, SUBJETIVIDADE E EDUCAÇÃO, 2017, Curitiba. Anais Eletrônicos...Curitiba: PUCPR, 2017. Disponível em: . Acesso em: 06 jan. 2019.

MACACARE, O. T et al. Ciência: alimento para o cérebro” – uma proposta multidisciplinar de popularização da ciência. Revista Diálogos, v. 22, n. 1, 2019. No prelo.

MACACARE, O. T et al. Semana do cérebro: divulgando a neurociência e integrando ensino, pesquisa e extensão. Expressa Extensão, v. 23, n. 3, p. 52-65, 2018.

MANSO, B. L. C. Divulgação científica: o desafio de popularizá-la na própria ciência. Revista do Encontro de Divulgação de Ciência e Cultura, v. 1, n. 1, 2012.

MARCHINI, L. C.; REIS, V. D. A.; MORETI, A. C. C. C. Composição físico-químicamde amostras de pólen coletado por abelhas Africanizadas Apis mellifera (Hymenoptera:Apidae) em Piracicaba, Estado de São Paulo. Ciência rural, v. 36, n. 3, p. 949-953, 2006.

MARSELIAN, K. T.; VITALIANO, C. R. Análise das condições organizadas em uma escola para promover a inclusão dos alunos surdos. Revista Lusófona de Educação, n. 19, p. 85-101, 2011.

MAYER, J. D.; SALOVEY, P. What is emotional intelligence? In P. Salovey & D. J. Sluyter (Eds.), Emotional development and emotional intelligence: Educational implications (pp. 3-34). New York: Harper Collins, 1997.

NAKAMOTO, H. O et al. Significados do taikô no Instituto Cultural Nipo Brasileiro de Campinas. 2010.

O cinema como inovação pedagógica na escola. Disponível em: . Acesso em: set. 2018.

OECD- Organization for Economic Cooperation. Disponível em: .. Acesso em: set. 2018.

PALIARIN, F; INCROCCI, R. M; NOBRE, M. J. Behavioral and Auditory Electrophysiological Rebound as a Compensatory Response to the Reinforcing Effects of Morphine. Neuroscience, v. 392, p. 66-76, 2018.

PAVEL, C. I.; MARGHITAS, L. A.; BOBIS, O.; DEZMIREAN, D. S.; SAPCALIU, A.; RADOI, I.; MADAS, M. N. Biological activities of royal jelly – review. Animal Science and Biotechnologies, v. 44, n. 2, p. 108-118, 2011.

QUADROS, R. M.; KARNOPP, L. B. Língua Brasileira de Sinais: estudos linguísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

REDE NACIONAL DE CIÊNCIA PARA EDUCAÇÃO. Quem somos?. Disponível em: . Acesso em: 01 fev. 2019.

RENDEIRO, M. F. B.; GONÇALVES, C. B. Divulgação e popularização da ciência: relato de experiência do projeto “Ciência às 7 e meia”. Revista Amazônica de Ensino e Ciências, v. 7, n. 13, p. 222-231, 2014.

RIGO, F. S.; OLIVEIRA, M. A. Amnésia e inferências sobre a memória. Disponível em: https://www.ic.unicamp.br/~wainer/cursos/906/trabalhos/M2_Amnesia_009264_008632.pdf . Acesso em: setembro de 2018.

RYBAK, J.; MENZEL, R. Anatomy of the Mushroom Bodies in thehoney bee brain: the neuronal conections of the alfa-lobe. The Journal of Comparative Neurology, v. 334, p. 444-465, 1993.

SEWAYBRICKER, L. E et al. Avaliação da disfunção hipotalâmica em crianças e adolescentes com obesidade= Evaluation of hypothalamic dysfunction in obese children and adolescents. 2016.

SIEGEL, S et al. Heroin" overdose" death: contribution of drug-associated environmental cues. Science, v. 216, n. 4544, p. 436-437, 1982.

SILVA, L. G. M.; RICARDO, B. F. R.; FERREIRA, J. E. B.; OLIVEIRA, Z. P. S.; GARCIA, P. H. M. A importância dos filmes didáticos no ensino de geografia urbana. Revista eletrônica da Associação dos Geógrafos Brasileiros, n. 26, v. 14, 2017.

SILVA, M. A et al. Práticas artísticas para divulgar neurociência: relato do evento “Conhecendo o cérebro”. Revista Educação, Artes e Inclusão, v. 13, n. 3, p. 224-244, 2017.

SOUZA, D. L.; EVANGELISTA-RODRIGUES, A.; PINTO, M. S. C. As abelhas como agentes polinizadores. Revista Eletrônica de Veterinária, v. 3, n. 3, p. 1-7, 2007.

TOSTES, R. A. A importância da divulgação científica. Revista Acadêmica, v. 4, n. 4, p. 73-74, 2006.

VIEIRA, M. N. F et al. Relato de experiência: visita de alunos da APAE no evento “Conhecendo o cérebro 2015”. REVISTA ELETRÔNICA PESQUISEDUCA, v. 10, n. 21, p. 484-495, 2018.

WEISS, F. Neurobiology of craving, conditioned reward and relapse. Current opinion in pharmacology, v. 5, n. 1, p. 9-19, 2005.

WOYCIECOSKY, C.; HUTZ, C.S. Inteligência Emocional: teoria, pesquisa, medida, aplicações e controvérsias. Psicologia: Reflexão e Crítica, v. 22, n. 1, p. 1-11, 2009.

ZEGGIO, L. et al. Neurociências e Educação: cuidado com os neuromitos!. In: EKUNI, R.; ZEGGIO, L.; BUENO, O. F. A. (Org.). Caçadores de neuromitos: o que você sabe sobre seu cérebro é verdade? São Paulo: Ed. Memnon, 2015. p.142-152.

GOULART, A. T. A importância da pesquisa e da extensão na formação do estudante universitário e no desenvolvimento de sua visão crítica. Horizonte, v. 2, n. 4, p. 60-73, 2004.




DOI: http://dx.doi.org/10.33053/cataventos.v11i2.8172

Apontamentos

  • Não há apontamentos.