EVENTO DE IMERSÃO DE EMPREENDEDORISMO E INOVAÇÃO: O CASO DO STARTUP DAY UPFPARQUE 2018.

Anderson Neckel, Juliana Birkan Azevedo, Marcos Eduardo Bertol, Bruno Oliveira Isele

Resumo


Este artigo busca relatar a segunda edição do Startup Day UPFParque, evento de imersão nas áreas do empreendedorismo e inovação, realizado em abril de 2018. Tendo a multidisciplinaridade como foco, o objetivo de desenvolver capacidades empreendedoras e proporcionar aos participantes um ambiente dinâmico. O evento ocorreu no Centro de Eventos da Universidade de Passo Fundo e contou com a participação de discentes e docentes desta e outras instituições, e de todas as áreas do conhecimento, bem como empresários da região. O desafio proposto na primeira hora do evento foi “Indústria 4.0”, a Quarta Revolução Industrial, e os participantes tiveram 24 horas para criar um novo modelo de negócio, desde que adequado à temática principal. Utilizando dinâmicas relacionadas ao design thinking, os participantes tiveram 10 etapas para concluir o desafio. Como metodologia, o artigo é qualitativo e se enquadra como estudo de caso, tendo, além da observação, entrevistas com alunos e professores. Participaram do evento mais de 300 pessoas, entre organizadores, mentores, facilitadores e participantes de diferentes áreas. Além da multidisciplinaridade, o evento resultou em 13 novos negócios criados e uma integração entre os diversos agentes presentes.


Texto completo:

PDF

Referências


ANPROTEC e Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial. PARQUES TECNOLÓGICOS NO BRASIL: Estudo, Análise e Proposições. Brasília, 2007. 560 p.

AMBROSE, G. Design thinking. Porto Alegre: Bookman, 2015. Recurso online.

AMBROSE, G.; HARRIS, P. Design thinking: s.m. ação ou prática de pensar o design. Tradução de Mariana Belloli. Revisão Técnica de Antonio Roberto Oliveira. PortoAlegre: Bookman, 2011. 199 p.

BESSI, V. G. (Coord.). Empreendedorismo e ação empreendedora. São Leopoldo: Trajetos Editorial, 2016. 224 p.

CHIAVENATO, I. Empreendedorismo: dando asas ao espírito empreendedor. 4. São Paulo: Manole, 2017. Recurso online.

CONTREIRAS, P. A. R . A quarta revolução industrial: um estudo de caso realizado na empresa Lix de Tecnologia. Revista gestão, Inovação e Negócios, n. I, v. I, 2015.

DORNELAS, J. Empreendedorismo: transformando ideias em negócios. 6. Rio de Janeiro: Atlas, 2016. Recurso online.

GEM 2016 – Global Entrepreneurship Monitor 2016. Relatório Executivo: Empreendedorismo no Brasil. Curitiba: IBPQ, 2016.

GOLDSMITH, R. E. Service Innovativeness and Price Sensitivity: An Exploratory Study, in Proceedings of the Association of Marketing Theory and Practice, Association of Marketing Theory and Practice, 1996.

LÖFSTEN, H.; LINDELÖF, P. R&D networks and product innovation patterns-academic and non-academic new technology-based firms on Science Parks. Technovation, p. 1-13, 2004.

MAXIMIANO, A. C. A. Empreendedorismo. São Paulo: Pretince Hall, 2012.

HUGH W. N; MCDONALD, M. H. B. Computer-aided Marketing Planning: The Experience of Early Adopters. Journal of Marketing Management, 1996.

OECD. Manual de Oslo: Proposta de Diretrizes para Coleta e Interpretação de Dados sobre Inovação Tecnológica, 2005. Inovação Tecnológica, 2005.

ROBERTSON, T. S. The process of innovation and the diffusion of innovation. Journal of Marketing, v. 31, p. 14-19, jan. 1967.

ROGERS, E. M. Diffusion of Innovations. New York: The Free Press, 1983.

ROGERS, E. M. et al. Complex Adaptive Systems and the Diffusion of Innovations. The Innovation Journal: The Public Sector Innovation Journal, v. 10, n. 3, article 29, 1983.

ROGERS, E. Communications of Innovations, New York: The Free Press (1995), Rogers, Everett M. (1976), “New Product Adoption and Diffusion”. Journal of Consumer Research, v. 2, n. 4, p. 290-314.

SCHUMPETER, J. A. Capitalism, socialismo, and democracy. New York e Londres, Harper e Brothers, 1942.

SCHUMPETER, J. A. Teoria do Desenvolvimento Econômico: Uma Investigação sobre Lucros, Capital, Crédito, Juro e o Ciclo Econômico. São Paulo: Nova Cultural Ltda, 1995.

STADLER, A.; ARANTES, E. C.; HALICKI, Z. (Coord.). Empreendedorismo e responsabilidade social. Curitiba: InterSaberes, 2014. (Gestão empresarial, 4). Disponível em: .

STICKDORN, M. Isto é design thinking de serviços: fundamentos, ferramentas, casos. Porto Alegre: Bookman, 2014. Recurso online.

TAJEDDINI, K.; TRUEMAN, M.; LARSEN, G. Examining the Effect of Market Orientation On Innovativeness. Journal of Marketing Management, 2006.

VEDOVELLO, C. Criação de infra-estruturas tecnológicas: a experiência brasileira de incubadoras de empresas. Revista do BNDES, v. 8, n. 16, p. 183-214, 2001.




DOI: http://dx.doi.org/10.33053/cataventos.v11i1.6959

Apontamentos

  • Não há apontamentos.