PROJETO DE UMA CADEIRA DE RODAS UTILIZANDO METODOLOGIA PROJETUAL

Carlos Edmundo Abreu e Lima, Guilherme R. Nascimento, Luis Guilherme Fontana, Vagner Colla, Artur Rustik, Rudimar Cavalini Becker Júnior, Arthur Augusto Cecconello Machado

Resumo


RESUMO

 

Com a presente e intensa luta contra a desigualdade, seja ela de qual natureza for, a Tecnologia Assistiva vem como importante ferramenta de inclusão de pessoas com deficiência, pessoas idosas e pessoas temporariamente indispostas que necessitam de algum tipo de auxílio para suas tarefas do dia a dia. A engenharia, sendo umas das ferramentas mais importantes de criação e transformação, tem o poder de promover esta inclusão, que beneficia diretamente estas pessoas que necessitam de atenção especial, bem como seus cuidadores e as pessoas que vivem ligadas a elas. Com a recente reprovação de algumas marcas de fabricantes de cadeiras de rodas pelo INMETRO, surge a oportunidade para os alunos do projeto de extensão Fábrica Escola de realizarem um projeto de uma cadeira de rodas que seja eficiente e adequada às normas e as entidades normatizadoras vigentes. Para isto, realizaram-se pesquisas dos produtos existentes, das normas técnicas vigentes e das patentes. Para a realização do projeto foi utilizada a Metodologia de Projeto e Desenvolvimento de Produtos de Pahl e Beitz, que consiste em quatro fases principais, sendo elas: esclarecimento e definição metódica da tarefa, métodos para concepção, metodologias para anteprojeto e métodos para o detalhamento. No presente trabalho completaram-se os desenvolvimentos das duas primeiras fases, esclarecimento e definição da tarefa e concepção, e, ainda, elaborou-se o layout preliminar da configuração inicial da cadeira de rodas, que faz parte da terceira fase da metodologia, denominada anteprojeto. O restante do anteprojeto e o detalhamento serão realizados no próximo semestre.

 

PALAVRAS-CHAVE: Cadeira de rodas. Desenvolvimento de produtos. Extensão. Metodologia de projeto. Tecnologia assistiva. 


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.33053/cataventos.v8i1.4037

Apontamentos

  • Não há apontamentos.